marcosempremulher

Selo MARÇO SEMPRE MULHER

Idealizadora do Selo em forma de BORBOLETA : Psicóloga SANDRA APARECIDA DONATI SILVÉRIO, servidora da SAD-MT;

Criação do Selo: Publicitários GUILHERME SOUTO e THIAGO SUIÇO;

Agência: DMD Comunicação

LENDA DA BORBOLETA

A borboleta é considerada um símbolo de ligeireza e de inconstância, de transformação e de um novo começo. A psicanálise moderna vê na borboleta um símbolo de renascimento.

– No Japão a borboleta é um emblema da mulher, por ser graciosa e ligeira. A felicidade matrimonial é representada por duas borboletas (masculino e feminino). Essas imagens são muitas vezes utilizadas em casamentos. Também são vistas como espíritos viajantes que anunciam a morte de uma pessoa próxima quando aparecem. A metamorfose das borboletas é simbolizada como: a crisálida é o ovo que contém a potencialidade do ser; a borboleta que sai dele é um símbolo de ressurreição. Também pode ser vista como a saída do túmulo.

– O termo grego psyche tinha dois significados originalmente. Um deles era alma e o outro borboleta, que simbolizava o espírito imortal. Na mitologia grega, a personificação da alma é representada por uma mulher com asas de borboleta. Segundo as crenças gregas populares, quando alguém morria, o espírito saia do corpo com uma forma de borboleta.

FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Borboleta


O POR QUE DA BORBOLETA

Psicóloga Sandra Aparecida Donati Silvério

Se algum dia, alguém perguntar o sentido da borboleta como símbolo de luta no combate a violência contra as mulheres.

Poderemos responder: O ciclo de vida das borboletas se equipara a condição da mulher que sofre qualquer tipo de violência. Primeiramente a borboleta põe os ovos sobre folhas que ela escolhe cuidadosamente, nutritivas, resistentes e livres de agrotóxicos (seria a escolha de seu companheiro?), em seguida o ovo eclode em larva, prepara um ninho sob a folha para se proteger de predadores e se alimenta vorazmente do restante da planta, exceto da folha que abriga seu ninho (a ilusão de um lar sólido?), tudo isso rastejando de um lado para outro, aqui podemos pensar na condição humilhante da mulher enquanto está a mercê da violência – rastejando como a larva para sobreviver. Depois vem a fase da pupa quando procura uma planta mais resistente para se envolver em um casulo e assim permanecer até o próximo passo que será o renascimento em forma de borboleta. Na fase da pupa podemos associar com o momento em que a mulher violada procura um suporte que possa auxiliá-la no resgate de suas forças (instituições e pessoas que acolhem as vítimas de violência), do amor próprio, período pelo qual se volta para si mesma, passa por um longo tempo de profunda reflexão e àquelas que conseguem encontrar no âmago suas potencialidades e beleza rompem “o casulo” para o mundo e assim alçam vôos jamais imaginados por elas, com liberdade e oportunidades, fortalecidas e transformadas como a metamorfose das borboletas.

 


Anúncios

1 Response to "Selo MARÇO SEMPRE MULHER"

Pessoal ficou fantástico o blog, os, ainda poucos, comentários, o objetivo do trabalho, a programação e a borboleta.
Contudo, pergunto, será que é preciso colocar a fonte da lenda? Consta no e-mail que enviei para Ana Emília e a frase em azul foi só uma reflexão no momento que encontrei o texto, talvez tenha que retirá-la para manter a sua originalidade. O que acham?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

setembro 2017
S T Q Q S S D
     
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Veja aqui as notícias mais rápidas.

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: